Banner:

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

► A história do jovem americano preso em Saquarema e que dizia ser 'QUÉRIOUCA' (2005).

Jesse James Hollywood
Em 2005, foi preso aqui no Brasil, especificamente na cidade de SAQUAREMA, que compõe a Região dos Lagos, onde também fica Cabo Frio, foi preso um cidadão americano com nome bem sugestivo para o cinema, Jesse James Hollywood. Esse rapaz fugiu do seu país de origem, depois de sequestrar e mandar um subordinado da sua gangue assassinar outro jovem americano, Nicholas Markowitz, com 15 anos de idade. Tudo porque o meio irmão de Nicholas devia 1.200 dólares. A situação mais BIZARRA é que o assassino, uma espécie de "faz-tudo" para Jesse James, e de nome Ryant Hoyt, aceitou a proposta  para assassinar o garoto de 15 anos como forma de quitar uma dívida de drogas com o "patrão", traficante de drogas, no valor aproximado de 2.500 dólares. O tal Ryant Hoyt utilizou uma metralhadora que recebeu do mandante que está na foto acima, Jesse Jemes: 13 tiros foram disparados e 09 acertaram o garoto adolescente de 15 anos, que morreu na hora. O atirador assassino foi condenado por uma Corte Americana e recebeu a PENA DE MORTE. Está no "corredor" aguardando a execução.

Nicholas Markowitz  - "Nick"
A Vítima
Acompanhando essa história pelo canal 44 (a cabo), em Cabo Frio, um novo canal chamado INVESTIGAÇÃO DISCOVERY, com uma programação voltada a ilustrar investigações de crimes e suas elucidações, além de alguns filmes mais antigos e várias séries. Observando a história que passou no referido canal, busquei mais informações na internet, inclusive com uma reportagem muito mal feita pelo programa "Fantástico", da Rede "BOBO" de Televisão, que dificilmente eu assisto. Preso em Saquarema em 2005, em uma operação conjunta entre a Polícia Federal do Brasil e o FBI (Polícia Federal americana), Jesse James Hollywood foi deportado logo em seguida para os Estados Unidos, frustrando a tentativa de Jesse James, que, por ter um filho por nascer no Brasil, da união com uma brasileira em Saquarema, imaginou que não seria extraditado. Se "ferrou" todo, já que o governo brasileiro tem um acordo com o governo americano para extraditar pessoas criminosos americanos que estejam em solo brasileiro, e vice-versa. E mesmo que não existisse tal acordo, por estar de forma ilegal no Brasil, a extradição do americano seria automática.

Jesse James Hollywood
Com macacão de prisão americana
E Jesse James Hollywood fez valer, na íntegra, o nome que o seu pai lhe deu, já que foi o nome de um fora-da-lei americano, o homônimo Jesse Woodson James, autor de muitos roubos nos Estados Unidos, que tinha uma gangue, mesmo sendo filho de um agricultor. A  sua história conta que ele foi um dos melhores cowboys a utilizar uma arma e que seu primeiro assassinato aconteceu aos 14 anos de idade. E o tal Jesse James Hollywood (da foto) parecia prever que sua história iria parar no cinema. Começou cedo na vida do crime e com apenas 19 anos de idade comprou uma casa de 200 mil dólares, onde morava com a namorada, que era modelo. O assassinato aconteceu em agosto/2000 e todos os envolvidos foram preso logo em seguida nos EUA, exceto Jesse James, que ficou foragido por 05 anos e foi preso em Saquarema, em 2005.

"ALPHA DOG"
O Filme
Jesse James foi julgado nos EUA e condenado à PRISÃO PERPÉTUA por ser o mandante do assassinato e autor do sequestro de Nicholas Markowitz. Sua vida inspirou o filme independente "ALPHA DOG" (2006) com a participação do famoso ator Bruce Willis, interpretando o pai do Jesse (Jack Hollywood), da famosa atriz Sharon Stone, interpretando a mãe de outro rapaz que foi preso por participar do sequestro e que fazia parte da gangue do  traficante Jesse James Hollywood cantor Justin Timberlake, que interpreta um dos amigos de gangue do traficante. Porém, na história contada pelo canal "Investigação Discovery, o adolescente assassinato, demonstrando toda a inocência, teve a oportunidade de fugir do sequestro várias vezes, além de 32 pessoas terem contato com ele, inclusive meninas adolescentes. Algumas pessoas, ao ouvirem do próprio Nicholas Markowitz, o sequestrado, que era uma vítima, sequer acreditavam na história. Algo difícil de acreditar hoje, se tudo não fosse esclarecido pelas pessoas informantes que denunciaram os criminosos à Justiça Americana e que serviram como testemunha dos dias que vivenciaram o ocorrido.

Cena do filme
"ALPHA DOG"
O adolescente assassinado (Nicholas Markowitz), segundo a história contata pelo programa, ainda participou de festinhas com os componentes da gangue que o sequestrou, com muita bebida, utilizando-se também de muita droga que o deixou totalmente alheio ao maior perigo que já lhe estava "reservado", enquanto seus pais e a polícia lhe procurava. Parece até que a droga o fez acreditar que tudo seria resolvido em breve e que nada lhe aconteceria. Algo realmente  muito triste, inacreditável... muito BIZARRO, infelizmente!

Abaixo, segue o vídeo com a reportagem da prisão de Jesse James Holywood no Brasil, em Saquarema. Em seguida, reportagem do PORTAL G1 sobre o julgamento do criminoso, além da reportagem da REVISTA VEJA, narrando a forma cômica em que Jesse James tentou enganar os policiais federais, falando em sotaque arrastado: "SOU BRASILEIRÔU; SOU QUÉRIOUCA!" 


►►► CLIQUE AQUI  e veja a reportagem do PORTAL G1, em 2009.

►►► CLIQUE AQUI e veja a reportagem da Revista Veja, on line, que descreve a forma hilária que o criminoso se identificou aos policiais que o procuravam.

►►► CLIQUE AQUI  para acessar a página do canal INVESTIGAÇÃO DISCOVERY, com a relação de todos os programas que envolvem INVESTIGAÇÃO CRIMINAL, inclusive de casos solucionados com a ajuda de pessoas que são médiuns.


Reportagem do "Fantástico"



EM TEMPO 1: acredito na grande possibilidade de reprise desta história, neste final de semana, sábado e domingo (27 e 28/10), em um dos programas do "Investigação Discovery", canal 44 (a cabo), em Cabo Frio.

► EM TEMPO 2: o diretor do filme "Alpha Dog", perto do fim das gravações, precisou investir mais dinheiro no filme para incluir a prisão do criminoso feita no Brasil. O tal diretor ainda enfrentou a fúria do promotor americano, que vetou o acesso dos produtores do filme aos documentos do processo.


"UM VÍCIO CUSTA MAIS CARO QUE MANTER UMA FAMÍLIA." (Honoré de Balzac; escritor francês, 1799-1850)

3 comentários:

  1. Amigo Osmar,

    após alguns meses atarefado por conta do mestrado, voltei a fazer postagens no blog. Ajude a divulgar, se puder.

    abraço. prof Veberson.

    ResponderExcluir
  2. Cara... Obrigada pela postagem, é a mais recente na net, sobre o caso. Acabei de ver o filme, estou chocada... Então, vim saber mais sobre o caso. Mais Bizarro que o João Estrela Carioca de fato. Nem sei se dá pra chamar esse povo de quadrilha... Eram uns nóias inconsequentes curtindo a vida de maneira insana. PIOR, é saber, que igual á eles, existem aos montes, por aí. O bicho tá feio. :(

    ResponderExcluir